sexta-feira, 15 de junho de 2012

CONFECÇÃO DE MATRIZES DE ALTO RELEVO/MATRIX HIGH RELIEF - 2ª PARTE



EXPOSIÇÃO À LUZ (GRAVAÇÃO DA IMAGEM)

Observar os seguintes fatores:

- Diapositivos: Evitar a utilização de “Laser Film” – filmes de poliéster translúcidos. Utilizar somente filmes fotográficos transparentes. As áreas escuras devem ter boa opacidade para bloquear completamente os raios de luz. As demais áreas devem ser transparentes e livres de sujeira ou poeira, para evitar a retenção de luz e o aparecimento de furos na matriz fotografada.
Utilizar fotolitos com resolução mínima de 1.200 dpi’s, para não prejudicar a definição da imagem impressa. Posicionar o positivo sobre o lado externo da matriz e fixar com fita adesiva transparente. A camada fotográfica do positivo (lado preto) deve estar em contato com a emulsão serigráfica.

- Fonte de luz: No caso de emulsões pré-sensibilizadas, a exposição deve ser feita necessariamente com uma fonte de luz rica em raios ultravioleta: lâmpadas halógenas, de arco voltaico ou vapor de mercúrio.
Para se obter uma perfeita definição e resolução da imagem, os raios de luz devem ser perpendiculares ao fotolito, a lâmpada deve ser puntiforme e a distância mínima deve ser igual à diagonal da matriz. Jamais utilizar lâmpadas tubulares, pois geram uma luz muito difusa, que ocasionará a perda dos detalhes finos (figura abaixo).



- Tempo de exposição: O tempo de exposição é muito importante, pois determina a qualidade da definição, o nível de resolução e a vida útil da matriz. Se houver sub-exposição (tempo insuficiente), o lado interno da camada fotográfica será dissolvido durante a revelação e a emulsão se soltará (levantará uma “pele”). No caso de super-exposição, haverá a perda dos detalhes finos (resolução da imagem).

O tempo de exposição correto é função da lineatura do tecido, diâmetro do fio, cor do tecido, tipo e espessura da camada fotográfica, potência e vida útil da fonte de luz, distância da fonte de luz à matriz, nível de secagem da emulsão e transparência e opacidade do positivo.

Para determinar o tempo ideal de exposição, utilizar uma das seguintes alternativas:


PARA CONTROLE DE EXPOSIÇÃO, DEFINIÇÃO E RESOLUÇÃO.

- Teste prático: fixar o positivo com fita adesiva transparente, no lado externo e expor a matriz por um tempo curto (por exemplo, 30 segundos). Após esse tempo, molhar o dedo com água e passar no lado interno, para sentir se a emulsão se dissolve. Caso ela se dissolva, o tempo de exposição inicial foi insuficiente. Como o positivo não foi retirado de sua posição original, podemos voltar a expor por mais alguns segundos (por exemplo, por mais 10 segundos). Repetir o teste enquanto a camada interna se dissolver, aumentando gradativamente o tempo de exposição. Quando a camada interna ficar “firme”, revelar a matriz com água e observar os detalhes finos. Caso eles foram perdidos, o tempo ideal de exposição foi ultrapassado.
Na próxima matriz expor com um tempo um pouco menor que a soma total do tempo de luz anterior.



- Revelação: Deixar a matriz imersa em água por aproximadamente 10 minutos. A água ligeiramente aquecida auxiliará na dissolução da emulsão não fotografada (não endurecida pela luz ultravioleta).

Em seguida, revelar a matriz dirigindo em ambos os lados, um jato suave de água fria, de preferência com um espalhador. Maior pressão somente pelo lado externo.

Continuar a lavagem até que a imagem apareça totalmente e as áreas não expostas estejam completamente livres de resíduos de emulsão.

Verificar os detalhes finos para avaliar se o tempo de exposição foi correto.

- Acabamento: Secar a matriz com ar quente. Retocar eventuais furos ou falhas e vedar as bordas da matriz com o bloqueador para tintas a base de solventes ou para tintas a base de água ou plastisóis).

- Tratamentos posteriores: Endurecimento da camada: para aumentar a resistência da matriz a produtos e tintas à base de água, podemos utilizar os endurecedores ou os catalisadores de emulsão.

- Reaproveitamento (Recuperação do tecido): Utilizar o removedores de resíduos de tinta e emulsões, para eliminar os resíduos de tintas que formam uma barreira que impede a ação dos removedores de emulsão.
Em seguida, utilizar o Removedor de Emulsões, para a dissolução da camada fotográfica. Para otimizar a remoção da emulsão, molhar bem a matriz com água e aplicar o removedor  no lado interno da matriz (lado do rodo). Deixar atuar por alguns minutos e em seguida aplicar um jato de alta pressão pelo lado interno.
Para retirar a imagem fantasma (fios do tecido tingidos pela tinta de impressão), utilizar o removedor alcalino em conjunto com o removedor de resíduos de tintas e emulsões.

Antes de utilizar os produtos de limpeza, consultar os respectivos informativos técnicos dos respectivos fabricantes, para obter informações detalhadas de como aplicá-los.

Agradecimentos a empresa Agabê por disponibilizar os seus artigos técnicos para o Dr. Silk.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário, participe com suas sugestões!