quarta-feira, 17 de abril de 2013

VOCÊ PERGUNTA, DR. SILK RESPONDE - ESTAMPAS INDEXADAS



Dando continuidade a postagem sobre pré-impressão serigráfica, Dr. Silk lança mais um canal de comunicação com seu público. "Você pergunta, Dr. Silk responde".

Colabore com o blog enviando suas perguntas, através do e-mail: doutorsilk@gmail.com.

e-mail enviando por  KR em 14.04.2013.

"Caro amigo, Dr. Silk, segue em anexo a imagem de uma camiseta preta com uma estampa de uma imagem promocional de um game, gostaria de saber como consigo pintar em camisas pretas sem ter usar um fundão branco, usando apenas uma especie de positivo pra recriar as partes com brilho ou iluminação como apresenta a camiseta.

Encontrei também um vídeo no YouTube (
http://www.youtube.com/watch?v=zvCJf_J-1yQ) mostrando a pintura em camiseta preta, só não mostra como foi feito o fotolito, já vi outros vídeos (em espanhol) ensinando vários modos de criar o tal positivo, se existir uma técnica certa gostaria de saber.


Desde já agradeço mais uma vez e em breve estarei enviando fotos do meu laboratório e espaço de pintura que estou construindo.

Um forte abraço e uma ótima semana"


 



Meu querido KR, obrigado pela sua participação. Este é sem dúvida um tema muito atual em serigrafia, a indexação de estampas  é uma excelente opção para agregar valor ao vestuário.

Antes de falarmos um pouco sobre a técnica de indexação de cores em serigrafia, irei abordar alguns conceitos básico sobre 3 modos de cores utilizados no Photoshop: RGB, CMYK e INDEXADOS.


Modo de Cores RGB

O modo de cores RGB do Photoshop utiliza o modelo RGB, atribuindo um valor de intensidade a cada pixel. Em imagens de 8 bits por canal, os valores de intensidade variam de 0 (preto) a 255 (branco) para cada um dos componentes de cores RGB (vermelho, verde, azul) em uma imagem colorida. 
Por exemplo, uma cor vermelho brilhante pode conter um valor R de 246, um valor G de 20 e um valor B de 50. Quando os valores dos três componentes são iguais, o resultado é um tom de cinza neutro. Quando o valor de todos os componentes é 255, o resultado é um branco puro e, quando o valor é 0, o resultado é um preto puro.
As imagens RGB usam três cores ou canais para reproduzir as cores na tela. Nas imagens de 8 bits por canal, os três canais são convertidos em 24 (8 bits x 3 canais) bits de informações de cores por pixel. Com imagens de 24 bits, os três canais podem reproduzir até 16,7 milhões de cores por pixel. 

Com imagens de 48 bits (16 bits por canal) e de 96 bits (32 bits por canal), é possível reproduzir ainda mais cores por pixel. Além de ser o modo padrão para novas imagens do Photoshop, o modelo RGB é usado por monitores de computador para exibir cores. Isso significa que, ao trabalhar em modos de cor diferentes de RGB, como CMYK, o Photoshop converte a imagem CMYK em RGB para exibição na tela.

Embora o RGB seja um modelo de cores padrão, a faixa exata de cores representadas pode variar, dependendo do aplicativo ou dispositivo de exibição. O modo de Cores RGB no Photoshop varia de acordo com a configuração da área de trabalho especificada na caixa de diálogo Configurações de Cores.


Modo de Cores CMYK

No modo CMYK, um valor de porcentagem é atribuído a cada pixel para cada uma das tintas de processo. Pequenas porcentagens de cores de tintas de processo são atribuídas às cores mais claras (realce), enquanto porcentagens mais altas são atribuídas às cores mais escuras (sombra). Por exemplo, um vermelho-claro pode conter 2% de ciano, 93% de magenta, 90% de amarelo e 0% de preto. Em imagens CMYK, o branco puro é gerado quando todos os quatro componentes possuem valores de 0%.
Use o modo CMYK ao preparar uma imagem para ser impressa com as cores de processo. A conversão de imagem RGB em CMYK cria uma separação de cores. Se você começar com uma imagem RGB, convém editar primeiramente em RGB e, em seguida, converter em CMYK no final do processo. No modo RGB, é possível utilizar os comandos Configuração de Prova para simular os efeitos de uma conversão em CMYK sem alterar os dados da imagem real. Também é possível usar o modo CMYK para trabalhar diretamente com imagens CMYK digitalizadas ou importadas de sistemas avançados.
Embora o CMYK seja um modelo de cores padrão, a faixa exata de cores representadas pode variar, dependendo da impressora e das condições de impressão. O modo de Cores CMYK no Photoshop varia de acordo com a configuração da área de trabalho especificada na caixa de diálogo Configurações de Cores.




Modo Cores Indexadas

O modo Cores Indexadas produz arquivos de imagem de 8 bits com até 256 cores. Ao converter em cores indexadas, o Photoshop cria uma tabela de busca de cores (CLUT, color lookup table), que armazena e indexa as cores na imagem. Se uma cor na imagem original não estiver exibida na tabela, o programa escolherá a cor mais próxima ou utilizará o pontilhamento para simular essa cor com o uso das cores disponíveis.
Embora a paleta de cores seja limitada, a cor indexada pode reduzir o tamanho do arquivo e manter a qualidade visual necessária para apresentações de multimídia, páginas da Web, entre outros. A edição limitada está disponível nesse modo. Para uma edição abrangente, é necessário converter temporariamente em modo RGB. Arquivos de cores indexadas podem ser salvos nos formatos Photoshop, BMP, DICOM (Digital Imaging and Communications in Medicine), GIF, Photoshop EPS, Large Document Format (PSB), PCX, Photoshop PDF, Photoshop Raw, Photoshop 2.0, PICT, PNG, Targa® ou TIFF.


O que é indexação de cores?

Indexar não é mais do que uma técnica que nos permite limitar o número de cores numa imagem a um conjunto específico e predeterminado de cores.

Em Photoshop, estas cores são salvas como uma "Color Look-Up Table", normalmente referidas como CLUT. Este CLUT serve como um índice de cores numa imagem. Num sentido bastante vago, todas as imagens digitais são indexadas porque elas são compostas por um conjunto limitado de cores, definido pelo "gamut" de um determinado tipo de espaço de cor de uma imagem.

Logicamente, no caso de uma imagem RGB ou CMYK, o número de cores pode ir até às centenas de milhar. Por sua vez, o Photoshop não é capaz de gerar um CLUT para mais que 256 cores, o conceito é o mesmo; a imagem é formada com um conjunto limitado de cores.
É válido perguntar; mas então porque havemos de querer utilizar cores indexadas?
A primeira tarefa quando pretendemos fazer uma separação de cores, é decidir qual o tipo de separação que irá funcionar melhor para a nossa imagem.

Por exemplo, para reproduzir uma imagem fotográfica numa peça de vestuário, o mais provável será utilizar as cores de seleção CMYK.

Num logotipo de 3 cores, o melhor será utilizar uma seleção de três cores diretas.

Considerando que as separações indexadas não utilizam as tradicionais tramas de meio-tom, mas sim pixels quadrados, em que todos têm o mesmo tamanho. O que permite a produção de matrizes serigráficas de melhor qualidade (para pixels demasiado pequenos, ter em atenção o tamanho do ponto reprodutível).

De modo a ilustrar estes conceitos, irei utilizar para exemplo um trabalho realizado. Vamos começar por ver que tipo de elementos temos para iniciar este trabalho:

- Um arquivo Photoshop contendo a digitalização de uma fotografia!


Porque indexar? Vamos começar...


Inicialmente a imagem fotográfica é aberta em Photoshop, sendo a primeira coisa a ver, o seu tamanho e resolução. Utilizando o comando "Tamanho de Imagem" podemos ver que a imagem original tem 8 x 10 cm, e uma resolução à 300 pixels por polegada. Concluímos, que esta imagem é demasiadamente grande e contém demasiada resolução.


  A resolução - O que fazer a seguir...


Quando estamos a trabalhar com imagens indexadas, a resolução é um fator crítico. Durante o processo de indexar, a imagem é convertida em pixels, sendo o tamanho da sua resolução o fator que irá determinar o tamanho dos pixels. Demasiada resolução significa pixels demasiado pequenos, que não permitem obter matrizes serigráficas eficazes, uma resolução demasiado pequena significa uma imagem "pesada" e pouco clara.

Para uma qualidade de imagem fotográfica, 200 pontos por polegada, já é bastante satisfatório. Para imagens com menor detalhe, 150 pontos por polegada, a resolução pode ser de 75 - 100 pontos por polegada, dependendo do detalhe.

Para a nossa imagem, selecionamos uma resolução de 150 pontos por polegada. O passo seguinte foi determinar o tamanho mais indicado para a nossa imagem. Numa primeira fase o tamanho foi de 20 x 25 cm, sendo posteriormente aumentado para 30 x 37,5 cm. Depois convertemos a imagem para o formato RGB (imagem > modo > RGB). 

É de salientar que no Photoshop não é possivel indexar imagens no formato CMYK, por isso temos primeiro de converter para RGB para depois converter para cores indexadas se este for o caso.

Devemos ainda salientar que qualquer tipo de edição de imagem seja feita antes de converter a imagem para cores indexadas, porque bastantes ferramentas e filtros existentes no Photoshop simplesmente não funcionam com imagens indexadas.

Até agora temos estado a preparar tudo para começar a trabalhar. Agora que já estamos prontos. Será útil guardar uma cópia do arquivo original, para futuras utilizações.

O primeiro passo será determinar que cores é que queremos no nosso "CLUT". Iremos olhar de novo para o nosso arquivo de imagem. Quais as cores que são necessárias para fazer com que esta imagem permaneça próxima da original?
Certamente um vermelho vivo para a maioria da imagem, um vermelho escuro para as zonas de meio tom, e o preto para as zonas de sombra!?

Esta etapa será o segredo para o processo de indexar; determinar quais as cores e quantas as cores necessárias para atingir o objetivo final.

Não nos devemos iniciar nesta técnica utilizando uma imagem muito complicada, porque no início quanto mais complicada ela for, mais cores ela terá.

É normal, que na primeira tentativa de utilização deste tipo de separação, as coisas não funcionem bem. Poderão existir cores a menos, cores desnecessárias ou talvez até cores erradas.

Não devemos ter receio de tentar várias vezes até atingirmos os resultados pretendidos.


Paleta de cores - As cores na imagem...

Agora que já ajustamos a imagem para o tamanho e resolução necessárias, convertemos se necessário a imagem para RGB e escolhemos a paleta de cores necessárias, estamos prontos para indexar. 

Primeiro, é necessário fazer um "Zoom In" de modo a escolher mais facilmente as cores na imagem. 

Começamos por escolher imagem > modo > cores indexadas (ou em inglês: image > mode > indexed color):


"Localização do comando cores indexadas no menu"


Deve aparecer a janela "cores indexadas" (indexed color) no menu. Muitas das opções aqui são irrelevantes para o nosso trabalho, por isso vamos ignorá-las. 


Temos de ter a certeza que a opção "visualizar", ("Preview") esta desativada. 

Nas "Opções" > "Pontilhamento", ("Options" > "Dither") em maior parte dos casos é recomendado selecionar "Por Difusão", ("Diffusion"). Só se deve utilizar "Nenhum", ("None") para imagens que contêm cores sólidas sem graduações, misturas ou transições de cores. Não se deve utilizar "Padrão", ("Pattern").


Vamos indexar...  - Janela cores indexadas


"Janela cores indexadas" - opções pontilhamento

Devemos desativar "Preservar cores exatas", ("Preserve exact colors"). Em "Paleta", ("Palette") devemos escolher "Personalizar", ("Custom") A paleta personalizada permite-nos carregar uma "CLUT" do disco rígido do computador, ou criar uma de raiz, como é o caso aqui.


"Janela cores indexadas" - opções paleta

Ao selecionar "Personalizar", ("Custom") aparecerá uma nova janela no menu chamada "Tabela de cores", ("Color Table")..

Devemos ignorar as cores que aparecem nesta janela, pois irão ser substituídas pelas nossas seleções.

Com o mouse clicamos no primeiro quadrado e, mantendo o botão esquerdo do mouse em baixo, movimentamos o mouse, de modo a selecionar todas os quadrados.

Um pouco depois de selecionar todos os quadrados, aparecerá a janela "Seletor de cores", ("Color Picker").
Mudamos todos os valores RGB para 255, ou os valores CMYK para 0 e clicamos no "Ok".O "Seletor de cores" desaparecerá e reaparecerá novamente, sendo necessário clicar "Ok" novamente.

Deveremos estar novamente na presença da "Tabela de cores", só que agora todos os quadrados devem de estar brancos. Basicamente acabamos de limpar a tabela de cores de modo a que possamos criar a nossa Tabela personalizada. Estamos agora prontos para criar a nossa CLUT personalizada. 

Clicamos no primeiro quadrado da "Tabela de cores", fazendo com que o "Selector de cores" apareça outra vez.
Devemos ignora-lo porque iremos selecionar as cores diretamente na imagem. Guiamos o cursor sobre a imagem de modo a que esteja diretamente sobre a cor que queremos e clicamos o botão esquerdo do mouse. Esta cor irá aparecer no primeiro quadrado da "Tabela de cores". Agora clicamos sobre o segundo quadrado na "Tabela de cores" e continuamos como acima descrito até termos todas as cores que necessitamos na "Tabela de cores":





Tabela de Cores - Imagem indexada com um único canal

Enquanto estivemos a realizar este procedimento poderemos receber do Photoshop o "alerta de gamut". Aparece sobre a forma de um pequeno triângulo amarelo com um ponto de exclamação que poderá aparecer na janela "Selector de cores" enquanto estamos a selecionar as cores desejadas. Isto é uma indicação que nos diz que a cor que estamos a selecionar poderá ser difícil de igualar quando a preparação das tintas. 

Poderemos ter que selecionar outra cor ligeiramente diferente, ou então estarmos preparados para gastar um pouco mais de tempo na preparação das tintas. Quando já estivermos todas as nossas cores selecionadas, devemos clicar "Ok" em todas as janelas secundárias e veremos Photoshop indexar a nossa imagem. Assumindo que as cores das tintas são iguais às cores selecionadas no menu, a imagem que estamos a ver no monitor deverá ser muito próxima da reprodução que vamos obter na impressão:


Se não estamos certos que gostamos do resultado, Photoshop dá-nos a opção de salvar a nossa Tabela de Cores. Depois podemos tentar de novo, até estarmos satisfeitos com o resultado, ou podemos voltar atrás e abrir a "Tabela de Cores" anteriormente salva. Photoshop fornece-nos também a opção de voltar atrás e editar uma e qualquer das cores individuais no "CLUT". Por exemplo: gostamos de todas as cores excepto as escolhidas para as zonas de sombra. 

A cor que escolhemos não é suficientemente escura, mas achamos que ficaria melhor se fosse. Abrimos a imagem indexada, indo depois a Imagem > Modo > Tabela de Cores (Image > Mode > Color Table). isto irá abrir a tabela de cores ou CLUT que desenvolvemos para esta imagem. Se clicamos sobre a cor que queremos substituir, iremos novamente ver a janela "Tabela de Cores". Podemos escolher uma nova cor e ela irá ser a substituta da anterior na imagem. Assim, podemos aperfeiçoar uma tabela de cores que estará próxima do que queremos mas que ainda poderá ser melhorada.


Continuação desta matéria na próxima postagem do dia 22/04.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário, participe com suas sugestões!